Menu Carrinho de Compras 0 Favoritos

Não existem produtos no seu carrinho.

Distinguir se é mesmo Couro

Como Identificar Couro Genuíno


Saiba a diferença entre Pele/Couro Genuína(o) e o sintético, conhecendo os diferentes tipos de couro.

Os artigos fabricados com couro são diferentes de qualquer fibra sintética por causa do acabamento natural, rico e elegante desse material.


1. Saber a diferença entre pele genuína e o sintético:


 Se a etiqueta disser "couro ecológico", "Polipele" ou "PU", o material com certeza é sintético.

- Mas, se estiver escrito as seguintes designações, é mesmo couro:

- 100% couro;
- Couro genuíno;
- Couro legítimo;
- Feito com produtos animais.


2. Verifique a superfície, procure por pequenos "caroços" e poros, para ver se há imperfeições e traços únicos que indiquem o couro genuíno. Nesse material, os defeitos são algo bom e positivo pois quer dizer que é mesmo couro. Lembre-se de que ele é feito de pele animal, portanto, cada peça é aleatória e única como o próprio animal do qual ela veio. Por outro lado, as superfícies muito regulares, uniformes e parecidas indicam, muitas vezes, um produto produzido artificialmente. O couro genuíno pode ter arranhões, vincos e rugas, o que é bom.


3. Pressione o produto para ver se ele forma vincos e rugas. O couro genuíno enruga quando pressionado, assim como a nossa pele. Já os materiais sintéticos apenas se comprimem, por exemplo, quando utilizamos a pressão do dedo, retendo a forma e a rigidez.

4. Sinta o cheiro do couro e procure por um aroma natural e característico, em vez de algo químico e plástico. Caso não saiba qual é o cheiro do material verdadeiro, entre em uma loja de couro genuíno (como a nossa) e teste algumas malas e sapatos.  Depois de saber a diferença entre os aromas será impossível de confundir.
Lembre-se de que o couro genuíno é pele de animal. Já o sintético é feito de plástico. Parece óbvio, mas o primeiro terá cheiro de pele, e o segundo, de plástico.


5Use o teste do fogo (com muito cuidado e à sua responsabilidade), sabendo que ele vai estragar parte do artigo se for sintético. Experimente se a peça tiver uma área pequena e numa zona difícil de ver na qual você possa testar. Leve uma chama até à zona que pretende testar três segundos para fazer o teste:
O couro genuíno vai ficar um pouco chamuscado e terá um cheiro parecido com cabelo queimado. Já o sintético vai pegar fogo e terá cheiro de plástico queimado.


6. Observe as bordas, pois o couro de verdade tem bordas ásperas. As do sintético são uniformes e perfeitas.


7. Dobre o couro, procurando por uma pequena mudança de cor no couro genuíno. Assim como no teste das rugas, o couro genuíno tem uma elasticidade única quando dobrado, mudando de cor e formando vincos naturais. O sintético é bem mais rígido e regular, e será mais difícil dobrá-lo do que o primeiro.

8. Se deixar cair uma gota de água no produto de couro, se for legítimo ele absorve a umidade, sempre que a pele não é impermeabilizada. Caso o material seja sintético, a água vai formar uma poça em cima dele. Já o couro verdadeiro absorverá a gota em poucos segundos, o que indicará que ele é genuíno.

9. Saiba que os artigos de couro genuíno raramente são baratos. Um produto feito totalmente desse material será relativamente caro. Esses objetos também costumam ter preços fixos. O couro de origem animal bovina é o mais caro por causa de sua durabilidade e da facilidade para curtir. O crute, ou raspa do couro, é uma camada inferior separada da superior e é mais barato que o material da camada externa.
Se parecer bom demais para ser verdade, provavelmente é falso. O couro genuíno tem na realidade um preço relativamente alto.
Embora todos os artigos feitos desse material sejam bem mais caros do que os sintéticos, na verdade também há tipos diferentes de couro genuíno, e o valor deles pode variar bastante.


10. Ignore a cor, pois até o couro colorido pode ser genuíno. Os corantes e as tinturas podem ser aplicados nos materiais verdadeiros e sintéticos, portanto, não leve a cor em consideração e tenha mais atenção ao cheiro, ao tato e à textura ao analisar.

 

Evitar a todo o custo:

Fique longe do "recouro", que é feito de pedaços de couro moídos, colados e prensados. Embora ainda seja couro, não é produzido a partir de um pedaço inteiro e regular de pele. Em vez disso, os restos de várias camadas diferentes são unidos, moídos e misturados a um produto adesivo para formar um pedaço de couro que, embora seja muito barato, peca bastante na qualidade.